quinta-feira, 5 de maio de 2011


Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas, crio asas, viro querubim
Sou da cor, do tom, sabor e som que quiser ouvir
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir
Quero mais, quero a paz que me prometeu
Volto atrás, se voltar atrás assim como eu.

Busquei quem sou
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto fujo, enquanto finjo

Fernando Anitelli

4 comentários:

  1. Dank!

    Essa poesia daria uma música, tem rima se bem tocada faria até sucesso.

    noch einen schönen Tag

    aufrichtig

    ResponderExcluir
  2. Vc ganhou um selinho!
    Confira!!!
    http://mulheresqueamamerrado.blogspot.com/2011/05/selo-de-qualidade.html

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema!
    Como um outro comentário disse: daria uma ótima canção!
    Parabéns pelo blog!
    Estou te seguindo.
    Deixo o convite para conhecer o blog "A Notícia no Divã": http://anoticianodiva.blogspot.com/

    Tenha um ótimo sábado!

    ResponderExcluir